segunda-feira, 20 de outubro de 2014

1941 - 1951

Ainda em 1940, recém-chegada da Bahia, Georgina se apresentou no dancing Danúbio Azul, localizado na praça Princesa Isabel, nº  4, em São Paulo, em 28 de novembro.
O nome usado por ela já era Diva Rios e as outras atrações apresentadas na mesma noite eram Saika Milani, Yolanda de Juno, Miss Tarzan, Tico-Tico e Bentinho, Quarteto Internacional, Ferri, Luiz e Nino e China.


Folha da Noite, 28 de novembro de 1940
Fonte: Acervo Folha

Pouco tempo depois, em 16 janeiro de 1941, Georgina voltava a ser destaque entre as atrações do dancing Danúbio Azul. Anunciada como "Diva Rios, muito apreciada cantora de sambas e marchas", se apresentou entre Yolanda de Juno, Pacheco Filho, Nhô Nardo e Cunha Júnior, Francisco Aguiar, Pororoca, Júlio Moreno, Tatu e Pipoca e Lili, "a menor anã do mundo, com 80 centímetros de altura. Pequena no tamanho e grande na arte, pois canta e baila como gente grande, no seu variadíssimo repertório de sambas e marchas".

Living in São Paulo and calling hereself Diva Rios – a singer of sambas and marches - Georgina is part of a troupe who put on a vaudeville act at the Blue Danube dancing joint. Among her colleagues were Saika Milani, Yolanda de Juno, Miss Tarzan, Tico-Tico & Bentinho, the International Quartet and introducing Lili, the smallest dwarf in the world only 80 cm tall.


Folha da Noite, 16 de janeiro de 1941
Fonte: Acervo Folha

Em junho de 1942, de volta de uma temporada em Salvador, onde teria se apresentado no cassino Tabaris, Georgina foi à imprensa paulista anunciando que pretendia cantar em alguma emissora de rádio da capital e também em diversas cidades do interior de São Paulo.
Nessa ocasião, sob o nome Diva Rios, a artista contou que seu repertório era composto por "músicas e canções indígeno-brasileiras, tendo especiais criações próprias em sambas e canções regionais", acrescentando ainda que era "exímia violonista, acompanhando-se naquele instrumento".



Diário da Noite (SP), 22 de junho de 1942
Fonte: Arquivo Público do Estado de São Paulo

Segundo um documento encontrado no arquivo da Polícia Civil de São Paulo, sem data, provavelmente desse período, no qual Georgina está registrada como bailarina, seu endereço em São Paulo era na rua Aurora, nº 499, onde funcionava o hotel São Carlos.
Ainda no arquivo da Polícia Civil de São Paulo foi encontrada uma ficha datada de 13 de novembro de 1942 na qual Georgina, legitimada como meretriz, declarou à Delegacia de Marília, cidade paulista, o pseudônimo Diva Biussi. Além disso, nessa ficha, sua data de nascimento consta como 17 de agosto de 1917.

Circa 1942, Georgina is spotted in Marília-SP under the pseudonym of Diva Biussi, where she had a run in with the local police.

Em seguida, Georgina se instalou no Rio de Janeiro, na Rua do Rezende, nº 39, e prosseguiu com suas atividades artísticas, se registrando em 02 de abril de 1943 na Delegacia de Costumes e Diversões do Rio de Janeiro.
Sua ficha, encontrada no Arquivo Nacional, aponta, além de suas informações básicas, um único registro profissional - sua contratação pela Empresa Paschoal Segreto para o elenco da opereta "Alvorada do amor", cuja estréia ocorreu em 14 de dezembro de 1944 no Teatro Carlos Gomes. Também digna de nota é a troca oficial do pseudônimo Diva Rios por Suzy King em 23 de outubro de 1953.
No dia 06 de dezembro de 1944, Georgina se matriculou na Casa dos Artistas, que funcionava então como sindicato. Na lista de artistas matriculados nessa instituição, encontrada pela pesquisadora Flávia Ribeiro Veras no Sindicato dos Artistas do Rio de Janeiro, constam o pseudônimo Suzy King, provavelmente adicionado nos anos 50, e a informação de que Georgina foi eliminada do sindicato em 10 de dezembro de 1966.

Soon after, Georgina moves to Rio de Janeiro finding accomodation on Rua do Rezende 39. She would reside in Rio until she left Brazil for good in 1969.
According to the National Archive, Georgina sings and dances in the operetta ‘Love’s dawn’ that opened in 14 December 1944 at Rio’s famous Teatro Carlos Gomes.



Registro de artista de Georgina Pires Sampaio na Delegacia de Costumes e Diversões do Rio de Janeiro
Fonte: Fundo Delegacia de Costumes e Diversões do Rio de Janeiro, Arquivo Nacional


Lista de matrículas da Casa dos Artistas 
Fonte: Sindicato dos Artistas do Rio de Janeiro


Diário da Noite, 14 de dezembro de 1944
Fonte: Biblioteca Nacional

Por essa época, Georgina se transferiu para o nº 87 da mesma Rua do Rezende onde já residia.
E foi quando morava lá que surgiram nos jornais as primeiras notícias escandalosas nas quais se viu envolvida, todas sobre problemas com o senhorio da casa de cômodos que funcionava no local.



A Noite, 27 de setembro de 1945
Fonte: Biblioteca Nacional


Correio da Manhã, 08 de junho de 1946
Fonte: Biblioteca Nacional


Diário de Notícias, 08 de junho de 1946
Fonte: Biblioteca Nacional


O Globo, 10 de junho de 1946
Fonte: Acervo O Globo


Diário de Notícias, 12 de junho de 1946
Fonte: Biblioteca Nacional

No dia 11 de março de 1948, Rodolfo Lopes de Araújo, o suposto pai do filho de Georgina, faleceu em Salvador.


Registro do falecimento de Rodolfo Lopes de Araújo junto à Polícia Militar da Bahia
Fonte: Arquivo da Polícia Militar da Bahia

Como curiosidade, vale dizer que em 21 de dezembro de 1945, Georgina requisitou uma linha telefônica.
Foi atendida somente em dezembro de 1949, quase quatro anos depois.
Naquele tempo era assim...


Diário Oficial da União, 07 de dezembro de 1949
Fonte: JusBrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário